Make your own free website on Tripod.com








OCULTISMO&UMBANDA

ORIXÁS














início | significado | forças ocultas | entidades | trabalhos | mediunindade | santos e orixás | firmeza | porquê? | história do cristianismo | significado dos sonhos | numerologia | mentora espiritual | exu? | relatos | perfil dos orixás | numeroliga e simbologia religiosa | entidades e guias | Yeshua ben | orações e preces | anjos | o quinto evangelho | contato





Quem e o que são os orixás
















donodomundo.jpg

Deus único e superior

 

Zâmbi, Olorum ou simplesmente Deus - Em sua benevolência e em sua força emanada através dos Orixás, santos e dos Guias, auxiliando os homens em sua caminhada para a elevação espiritual e social. Infelizmente deve-se aos limites da linguagem humana a falta de precisão em conceituar o que seria Deus. Isto por que uma das características da Divindade Suprema é ser Infinito, sem medidas, o que remete apenas conhecer parcialmente sua “Natureza”.

Mormente cabe ao homem a aventura de tentar decifrar a “Divindade”, pela fé, pelo amor e pela razão e é sobre esta Grande Aventura Humana é que pretendemos falar.

Quando Moisés ao alto da montanha, recebeu as placas das leis divinas. Este foi o primeiro dia em que Deus se nomeou como "O QUE É", em aramaico "Javé".

Porquê ele não é criatura. É o criador.

Os Orixás não são deuses como muitas pessoas podem conceber, assim como em outras religiões, mas sim divindades criadas por um único Deus: Olorun (dentro da corrente Nagô) ou Zambi (dentro da corrente Bantu).

Uma interpretação mais objetiva coloca os Orixás como manifestações de diferentes arquétipos universais, que seriam uma síntese de leis e princípios cósmicos e naturais, que representariam as diferentes manifestações da forças naturais expressos na forma de símbolos. Cada pessoa está ligada a um desses arquétipos(Orixás) e sua evolução deve seguir os padrões dessa síntese simbólica a qual a pessoa está relacionada.

Na Umbanda Esotérica e Iniciática há a seguinte interpretação:

Os Orixás são vibrações de Deus, vem Dele, mas não são Ele, são princípios irradiados da Suprema Inteligência, regem a Criação e a Evolução em todo o Cosmos. Sete são as vibrações, que imprimem na natureza um ritmo setenário que pode ser visto nas cores, no som, nas formas, nos seres e em todos os elementos da natureza.

Na Umbanda (de uma maneira geral, pois existem variações referentes às diversas ramificações existentes), os Orixás são cultuados como divindades de um plano astral superior, que na Terra representam às forças da natureza:

 

  • Oxum: As águas doces (azul marinho).
  • Iemanjá: As águas salgadas (azul claro).
  • Iansã: Os ventos, chuvas fortes, os relâmpagos (amarelo).
  • Xangô: A força das pedreiras (marrom).
  • Oxóssi: A energia das matas (verde).
  • Ogum: Dos metais (vermelho).

São 7 os Orixás ou Linhas na Umbanda, em ordem:

 

·         Oxalá: Representado por Jesus (branco).

·         Oxossi: São Sebastião - Representado pelos caboclos ou indios brasileiros ou não.

·         Ogum: São Jorge - Os chamados guerreiros.

·         Ibeji Bejada: São Cosme e São Damião - A linha das crianças.

·         Oxum: Nossa Sra. Aparecida -  Representada pela força da água doce, rios e cachoeiras.

·         Xangô: São Jerônimo ou São Pedro -  Representa a justiça e a força das pedreiras.

·         Yemanjá: Nossa Senhora -  Representa a água salgada, o mar.

 

A cada Orixá está associada uma personalidade e um comportamento diante do mundo e com seus filhos, os quais são seus protegidos e uma parte das emanações do Orixá presentes no Orí ou Camatuê (Camatua) desses filhos.

Existe a compreensão do trabalho dos Orixás na Umbanda em 7 Linhas. Rubens Saraceni as divide da seguinte forma.

Fé, Amor, Conhecimento, Justiça, Lei, Evolução, Geração.

Ainda, segundo Saraceni, os 14 orixás de Umbanda colocados pela ordem das linhas que trabalham:

 

- Fé e paz: Oxalá.

- Amor: Oxum e Oxumaré.

- Conhecimento: Oxóssi.

- Justiça: Xangô.

- Lei: Ogum e Iansã.

- Evolução: Obaluayê e Nanã Buroquê.

- Geração: Yemanjá e Omulu

 

Referências

 

Africanas, Indígenas, Européias e Indianas. A Umbanda é uma junção de elementos Africanos (Orixás e culto aos antepassados), Indígenas (culto aos antepassados e elementos da natureza), Brancos (o europeu que trouxe seus Santos e a doutrina cristã que foram siscretizados pelos Negros Africanos) e de uma doutrina Indiana de reencarnação, Kharma e Dharma, associada a concepção de espírito empregada nas três Raças que se fundiram (Negro, Branco e Índio).

A Umbanda prega a existência pacífica e o respeito ao ser humano, a natureza e a Deus. Respeitando todas as manifestações de fé, independentes da religião.

A máxima dentro da Umbanda é "Dê de graça, o que de graça recebestes: com amor, humildade, caridade e fé".

terra.gif
















Conclusão

 

Os orixás estão presentes em nossas vidas a todo instante. Estão presentes no ar, nas plantas, nos minerais, nos alimentos nas cores, nos aromas, nos comportamentos e em nossas decisões.

São verdadeiras “forças ocultas” que nos circulam a todo instante.

Mas até aonde há a separação dos orixás e Deus?

Uma comum explicação pode elucidar o assunto:

Qual o astro rei? O sol! Ele é o centro de nosso sistema solar. É ele que provê calor, energia, vida para tudo e todos. Todos os planetas giram em sua órbita.

Tomemos como exemplo, como se o sol fosse Deus (que já teve esta representação no passado entre os egípcios, por milênios). A luz do sol vista durante o dia, aparenta não ter cores, ser branca. Mas uma vez filtrada por um prisma, lá estão elas, cores, amarelo, vermelho, azul, roxo, verde, etc..

Assim são Deus e os orixás.

Uma maneira um pouco infantil de tentar explicar, mas de certa forma faz muito sentido, pois eles estão ai, a nossa volta, ocultos!

E tudo se funde em um só objetivo, o progresso e a vontade de Deus.

As cores, a natureza, a astrologia, a numerologia... Tudo é uma coisa só. Uma vez que consiga enxergar o universo como um todo, passará a entender e testemunhar a vontade de Deus em sua plenitude.